quarta-feira, 17 de março de 2021

REPORTAGEM ESPECIAL: Animais peçonhentos e os perigos no período chuvoso

 

É durante o período chuvoso que se percebe, com mais frequência, a presença de animais peçonhentos em casas e apartamentos, especialmente os localizados próximos às áreas verdes. Escorpiões, aranhas, lacraias e até serpentes costumam buscar locais secos para se proteger das chuvas e acabam se tornando um perigo, especialmente para crianças e idosos.

São dentro deste contexto que ocorrem os acidentes provocados por animais peçonhentos, que são mais comuns do que se imagina e podem ser letais, em alguns casos, dependendo do tempo que se gasta para chegar ao hospital. Conforme dados do Ministério da Saúde, que compara os casos entre os anos de 2000 a 2018, este último ano foi o que apresentou o maior número de casos, no Rio Grande do Norte. A média daquele ano foi de 209 casos para cada 100 mil habitantes.

As principais recomendações para evitar ataques são:

- Use sapatos e roupas resistentes que cubram as pernas.

- Sempre verifique suas roupas antes de colocá-las em lugares alheios à sua casa.

- Nunca coloque as mãos atrás de armários, debaixo de camas, em cantos escuros ou vasos profundos sem inspeção visual.

- Use sapatos altos e resistentes ao caminhar na grama alta.

- Fique firme. As cobras, na maioria dos casos, fogem, mesmo antes de você as descobrir. Certamente, a cobra estará tão assustada quanto você.

- Se você se deparar com o animal, mantenha a calma. Não se aproxime e afaste-se calmamente.

- Se você for mordido, cumpra as regras vitais de primeiros socorros.

- Se for o caso e necessário tocar em algum animal supostamente morto, faça-o apenas com um pau na certeza de estar a uma distância segura, pois os reflexos e instinto de defesa podem provocar o ataque.

Primeiros socorros em caso de acidente com animais peçonhentos:

- Acionar o socorro médico ou levar a vítima o mais rápido possível para o hospital mais próximo

- Acalme a vítima. Saiba que se a vítima estiver agitada e movimentar-se muito, as contrações musculares fazem com que o veneno se espalhe mais rápido no corpo.

- Não use tipoia.

- Nunca corte, chupe ou aperte o local da mordida.

- Retire anéis, pulseiras e similares, pois pode haver inchaço caso a mordida tenha sido nos membros superiores.

- Transporte a pessoa em repouso, deitada.

- Mantenha a vítima o mais imóvel possível com o membro afetado mais elevado que o restante do corpo.

- Se possível, coloque compressas de água fria ou bolsa térmica. Isso ajudará no alívio da dor.

- Certifique-se de que o animal venenoso possa ser identificado para que a vítima possa receber um soro apropriado. Se necessário, tire uma foto para que você possa mostrá-la ao médico em caso de dúvida.

- Jamais sugar a área da picada, fazer torniquete, corte ou perfuração ao redor do ferimento e também não aplicar nada sobre o mesmo para não agravar o estado geral da vítima.

Reportagem de Amina Costa